Notícias e entretenimento nerd!

Os Filmes de Ficção Científica que Hipnotizam Multidões

Na vastidão do gênero cinematográfico, poucos filmes conseguem transcender o rótulo de meras obras de entretenimento para se tornarem ícones culturais. No site Agente Vimos, o leitor é convidado a explorar o universo dos filmes de ficção científica que não apenas marcaram épocas, mas também desafiaram e expandiram as fronteiras da imaginação humana. Mas o que torna uma obra cinematográfica verdadeiramente épica e atemporal?

Desde a odisseia espacial visionária de Kubrick até a emocionante amizade interespacial de Spielberg, estes filmes não são apenas representações de mundos distantes e futuros imaginários, mas também espelhos das inquietudes humanas mais profundas. Como esses marcos do cinema continuam a influenciar gerações e a dialogar com questões existenciais, éticas e sociais? Descubra em nossa análise os detalhes que fazem destas obras muito mais do que simples narrativas de ficção

Os Filmes de Ficção Científica que Hipnotizam Multidões

  • 2001: Uma Odisseia no Espaço (1968): Uma viagem cinematográfica que explora a evolução humana e o mistério da existência, marcada pela direção visionária de Stanley Kubrick.
  • Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977): O início de uma saga épica intergaláctica que definiu o gênero space opera e cativou gerações com sua rica mitologia e personagens icônicos.
  • E.T., o Extraterrestre (1982): Um conto emocionante sobre amizade e inocência, que conquistou corações ao redor do mundo e se tornou um fenômeno de bilheteria.
  • Laranja Mecânica (1971): Uma visão distópica e provocativa de uma sociedade futurista, que desafia os espectadores a refletirem sobre livre arbítrio e moralidade.
  • O Dia Em que a Terra Parou (1951): Uma narrativa pioneira que usa o conceito de visitantes extraterrestres para passar uma mensagem pacifista e crítica ao comportamento humano.
  • Blade Runner: O Caçador de Androides (1982): Uma reflexão neo-noir sobre identidade, consciência e a essência do ser humano, ambientada em um futuro esteticamente deslumbrante.
  • Alien: O Oitavo Passageiro (1979): Um suspense espacial tenso e aterrorizante que redefine o horror em ficção científica, com uma das criaturas mais memoráveis do cinema.
  • O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (1991): Uma sequência repleta de ação e efeitos especiais inovadores que questiona a relação entre humanos e tecnologia.

Esses filmes não apenas moldaram o gênero da ficção científica, mas também influenciaram a cultura popular e mantêm sua relevância através das décadas, encantando novas audiências e permanecendo eternamente como obras-primas do cinema.

Os filmes de ficção científica têm o poder de hipnotizar multidões, transportando o público para mundos imaginários e desafiando sua percepção da realidade. Clássicos como “2001: Uma Odisseia no Espaço” e “Blade Runner: O Caçador de Androides” exploram questões existenciais e éticas, enquanto franquias como “Star Wars” e “O Exterminador do Futuro” nos levam a batalhas épicas entre humanos e máquinas. Essas obras atemporais continuam a influenciar gerações, provando que a ficção científica é um gênero capaz de cativar e fascinar públicos de todas as idades.
Os músicos que se tornaram atores de sucesso

2001: Uma Odisseia no Espaço (1968)

Em meio ao vasto cosmos do cinema de ficção científica, poucas obras possuem a capacidade de magnetizar o olhar e instigar o intelecto como “2001: Uma Odisseia no Espaço”. A película, dirigida pelo visionário Stanley Kubrick, é uma sinfonia visual e narrativa que desafia as convenções e transcende o tempo. Sua estreia, no final da década de 60, representou não apenas um marco na história do gênero, mas também um divisor de águas na maneira como o espaço sideral e suas infindáveis possibilidades foram retratados na sétima arte.

A complexidade da trama, que se estende desde os primórdios da humanidade até um futuro repleto de incógnitas tecnológicas, reflete uma busca incessante pelo entendimento da nossa própria existência. O filme aborda a evolução humana com uma profundidade raramente vista, utilizando-se de elementos simbólicos e metafóricos que estimulam a curiosidade e o debate. O monólito negro, por exemplo, é uma figura enigmática que permeia a narrativa, sugerindo um papel catalisador em momentos-chave da evolução humana e provocando uma miríade de interpretações.

A abordagem visual e sonora do filme é outro aspecto que merece destaque. Os efeitos especiais, revolucionários para a época, junto à meticulosa escolha da trilha sonora composta por obras de Richard Strauss e Johann Strauss II, criam uma atmosfera imersiva e atemporal. A harmonia entre imagem e som configura-se como uma experiência quase transcendental, capaz de transportar o espectador para além dos limites convencionais do cinema.

A narrativa não linear e as sequências que desafiam a percepção temporal são elementos que contribuem para a explosividade do filme. As transições abruptas entre eras distintas e os saltos narrativos demandam do espectador uma atenção especial, bem como uma disposição para se deixar levar por uma corrente cinematográfica que flui fora dos padrões tradicionais.

A perplexidade gerada pela obra é tal que muitos encontram-se compelidos a revisitar o filme diversas vezes ou mesmo buscar no livro homônimo de Arthur C. Clarke chaves para desvendar os mistérios propostos por Kubrick. É essa intricada teia de significados e simbolismos que torna “2001: Uma Odisseia no Espaço” um filme hipnótico, capaz de capturar a imaginação de gerações de cinéfilos e entusiastas da ficção científica.

A influência desta magnum opus estende-se por toda a cultura pop e continua a ser referência obrigatória para qualquer produção que aspire explorar os confins do universo cinematográfico. Ao contemplar as questões existenciais mais profundas da humanidade através das lentes da ficção científica, “2001” perpetua-se como um monumento à capacidade humana de sonhar e questionar o desconhecido.Épico versus atemporal: os filmes de ficção científica mais marcantes

A ficção científica é um gênero cinematográfico que sempre despertou a imaginação e curiosidade do público. Ao longo dos anos, diversos filmes se destacaram por sua grandiosidade épica ou por sua atemporalidade, deixando uma marca duradoura na história do cinema.

Os filmes épicos de ficção científica

Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977)

A indústria cinematográfica, ao longo das décadas, tem sido palco para o surgimento de inúmeras obras que transcendem a mera função de entretenimento, tornando-se marcos culturais que afetam profundamente a sociedade. Em 1977, o lançamento de “Star Wars – Episódio IV: Uma Nova Esperança” representou um desses momentos ímpares na história do cinema. A narrativa, centrada na jornada do jovem Luke Skywalker, que se vê imerso em uma guerra intergaláctica contra as forças opressoras do Império, introduziu ao público uma trama repleta de elementos que desafiavam a imaginação, desde a existência de cavaleiros Jedi até a concepção da Estrela da Morte, uma estação espacial com poder de aniquilação planetária.

  Desvende os Enigmas da Mente nos Filmes

A complexidade do universo criado por George Lucas é evidenciada não apenas pela riqueza visual e temática, mas também pela construção de personagens multifacetados. A princesa Leia Organa emerge como uma figura de resistência e liderança, enquanto Han Solo, o mercenário com um coração de ouro, adiciona camadas de cinismo e charme à narrativa. Essa diversidade de caracteres e motivações enriquece o enredo, promovendo uma explosividade narrativa que mantém o espectador engajado em cada reviravolta. Ao mesmo tempo, a presença de figuras míticas como Obi-Wan Kenobi insere uma dimensão filosófica à história, explorando temas como legado e destino.

A influência de “Star Wars – Episódio IV: Uma Nova Esperança” estende-se muito além dos parâmetros da ficção científica, alcançando um status icônico que poucas obras conseguem. A capacidade de George Lucas em mesclar aventura espacial com mitologia clássica resultou em uma obra que não apenas encantou gerações pelo seu apelo visual e sonoro inovador, mas também pelo seu profundo impacto cultural. A saga Star Wars é um testemunho do poder do cinema em criar universos que refletem as angústias e esperanças da humanidade, ao mesmo tempo em que oferece uma fuga para realidades alternativas onde o bem pode triunfar sobre o mal em escalas épicas. A perplexidade do texto cinematográfico se manifesta na habilidade com que esses temas são entrelaçados em um tapeçaria narrativa que continua a hipnotizar multidões até os dias atuais.Épico versus atemporal: os filmes de ficção científica mais marcantes

A ficção científica é um gênero que tem encantado os espectadores há décadas, com histórias que exploram mundos futuristas, tecnologias avançadas e conceitos científicos intrigantes. Neste artigo, vamos explorar os filmes mais marcantes deste gênero, divididos entre os épicos e os atempor

E.T., o Extraterrestre (1982): Uma Jornada de Emoções e Descobertas

A sétima arte tem o poder de transcender a realidade e nos transportar para universos onde o impossível se torna palpável, onde as fronteiras do conhecimento são expandidas e a imaginação humana é posta à prova. Dentro do vasto leque de gêneros cinematográficos, a ficção científica ocupa um lugar de destaque, especialmente quando se abordam obras que conseguiram não apenas entreter, mas também tocar profundamente o coração de seu público. Neste contexto, “E.T., o Extraterrestre”, dirigido pelo aclamado cineasta Steven Spielberg, emerge como um fenômeno cultural que reverbera até os dias atuais.

A Essência da Narrativa: Além do Entretenimento

Embora seja categorizado como um filme de ficção científica, “E.T.” vai além dos elementos típicos do gênero, como naves espaciais ou tecnologias avançadas. A verdadeira essência da obra reside na sua capacidade de explorar temas complexos e intrinsecamente humanos. A narrativa se desenrola através dos olhos de Elliott, um garoto que estabelece uma conexão inesperada com um ser de outro mundo. Esta relação não é meramente superficial; ela encarna os conceitos de empatia, lealdade e a busca por pertencimento.

A história é habilmente tecida para apresentar uma série de contrastes emocionais. Por um lado, há momentos de pura inocência e descoberta; por outro, são abordados sentimentos mais sombrios, como a solidão e o medo do desconhecido. Spielberg consegue, assim, criar uma tapeçaria rica em nuances emocionais que ressoa com espectadores de todas as idades.

Impacto Visual e Cultural: A Imortalidade de um Clássico

O impacto visual de “E.T.” é inegável. Cenas icônicas, como a da bicicleta voando contra o pano de fundo da lua cheia, tornaram-se parte do imaginário coletivo e simbolizam a magia do cinema. A habilidade técnica empregada na criação do extraterrestre titular também merece destaque; E.T. é ao mesmo tempo estranho e familiar, evocando uma sensação de maravilhamento misturada com uma pitada de melancolia.

Além disso, o filme exerceu uma influência significativa sobre a cultura popular e a indústria cinematográfica. Ele não apenas pavimentou o caminho para futuras explorações do gênero ficção científica, mas também estabeleceu padrões para a construção de personagens não-humanos com os quais os espectadores pudessem se identificar e se importar profundamente.

Em suma, “E.T., o Extraterrestre” é um exemplo primoroso de como a ficção científica pode ser utilizada para refletir sobre a condição humana. A obra permanece como um testemunho da capacidade do cinema em criar experiências compartilhadas que transcendem o tempo e o espaço, unindo multidões em torno de histórias que celebram as complexidades da vida e os laços inquebráveis da amizade.Épico versus atemporal: os filmes de ficção científica mais marcantes

A ficção científica é um gênero cinematográfico que tem o poder de transportar o público para mundos distantes e explorar conceitos futuristas. Ao longo dos anos, vários filmes se destacaram como verdadeiros marcos nesse gênero, tanto pela sua grandiosidade épica quanto pela sua atemporalidade. Vamos explorar

Blade Runner: O Caçador de Androides (1982) e o Fascínio pela Ficção Científica

A obra cinematográfica Blade Runner: O Caçador de Androides, dirigida por Ridley Scott, é um exemplo paradigmático do poder hipnótico que os filmes de ficção científica exercem sobre as multidões. Lançado em 1982, este filme não apenas capturou a imaginação do público com sua visão de uma Los Angeles futurista, mas também provocou reflexões profundas sobre temas que transcendem o tempo e o espaço.

A narrativa, situada no ano de 2019, apresenta uma sociedade onde a tecnologia avançada é capaz de criar seres artificialmente inteligentes, conhecidos como replicantes. Estas criações, inicialmente destinadas à servidão, evoluem para entidades complexas que desafiam as fronteiras da humanidade. A questão central do filme gira em torno da percepção da identidade e da existência autêntica, levantando questões éticas que ressoam até os dias atuais.

A missão do protagonista Rick Deckard, interpretado com maestria por Harrison Ford, é eliminar os replicantes rebeldes que buscam escapar de sua obsolescência programada. No entanto, o enredo se aprofunda quando Deckard se depara com dilemas morais ao confrontar a essência emocional e cognitiva dos seres que ele foi encarregado de “aposentar”.

O relacionamento entre Deckard e Rachael, uma replicante com memórias implantadas, adiciona uma camada adicional de complexidade à trama. A interação entre eles desencadeia uma série de questionamentos sobre o que realmente constitui a essência do ser humano. A ambiguidade moral que permeia suas interações é um dos fatores que tornam Blade Runner uma obra tão cativante.

  "Desvendando o Mistério: Aliens Dominando a TV!"

A atmosfera sombria e o visual distópico do filme são elementos distintivos que contribuíram para a consolidação do gênero cyberpunk na cultura popular. A influência de Blade Runner pode ser observada em inúmeras obras posteriores, tanto no cinema quanto em outras formas de arte e entretenimento.

Ao explorar a tensão entre criador e criatura e ao desafiar as convenções sobre vida artificial e consciência, Blade Runner estabelece um diálogo com seu público que perdura por décadas. A capacidade do filme de envolver espectadores em discussões filosóficas enquanto oferece uma experiência visualmente estimulante é um testemunho do poder duradouro da ficção científica no cinema.

Explorando universos desconhecidos e realidades alternativas, os filmes de ficção científica continuam a capturar a imaginação de espectadores ao redor do mundo. Com tramas que desafiam a mente e efeitos especiais de cair o queixo, essas obras são verdadeiras viagens à fronteira do impossível.

1. O que caracteriza um filme de ficção científica?

Um filme de ficção científica é caracterizado pela sua temática baseada em conceitos científicos, tecnológicos ou futuristas. Esses filmes exploram mundos imaginários, avanços tecnológicos, viagens espaciais, seres extraterrestres e outros elementos que extrapolam os limites da realidade.

2. Quais são os elementos que tornam um filme de ficção científica hipnotizante para as multidões?

Os filmes de ficção científica hipnotizam as multidões ao oferecerem uma combinação única de entretenimento e reflexão. Elementos como efeitos visuais impressionantes, narrativas complexas e personagens cativantes contribuem para criar uma experiência imersiva que prende a atenção do público.

3. Qual é a importância dos filmes de ficção científica na cultura popular?

Os filmes de ficção científica desempenham um papel fundamental na cultura popular, pois têm o poder de inspirar e influenciar gerações. Eles exploram questões filosóficas, éticas e sociais, estimulando debates e reflexões sobre o futuro da humanidade, a relação com a tecnologia e os limites da ciência.

4. Quais são os filmes de ficção científica mais marcantes da história?

Alguns filmes de ficção científica que se destacam como os mais marcantes da história são “2001: Uma Odisseia no Espaço”, “Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança”, “E.T., o Extraterrestre” e “Blade Runner: O Caçador de Androides”. Essas obras transcendem o tempo e continuam a encantar e fascinar as multidões até hoje.

5. Por que “2001: Uma Odisseia no Espaço” é considerado um filme hipnótico?

“2001: Uma Odisseia no Espaço” é considerado um filme hipnótico devido à sua abordagem visual e narrativa única. A complexidade da trama, os elementos simbólicos e metafóricos, além dos efeitos especiais revolucionários para a época, criam uma experiência cinematográfica imersiva que desafia as convenções e instiga a curiosidade do espectador.

6. O que faz de “Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança” um filme épico?

“Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança” é considerado um filme épico por sua grandiosidade visual, narrativa envolvente e personagens icônicos. A saga Star Wars estabeleceu novos padrões para o cinema de ficção científica, combinando aventura espacial com mitologia clássica, resultando em uma obra que transcendeu o gênero e se tornou um fenômeno cultural.

7. Por que “E.T., o Extraterrestre” é um filme que toca profundamente o coração do público?

“E.T., o Extraterrestre” é um filme que toca profundamente o coração do público por sua capacidade de explorar temas complexos e emocionais. A relação entre Elliott e E.T., a abordagem da amizade, solidão e descoberta, combinados com uma narrativa habilmente construída, criam uma experiência cinematográfica que ressoa com espectadores de todas as idades.

8. Como “Blade Runner: O Caçador de Androides” desafia as fronteiras da identidade humana?

“Blade Runner: O Caçador de Androides” desafia as fronteiras da identidade humana ao explorar a existência dos replicantes, seres artificialmente inteligentes criados pelo homem. O filme questiona o que define a humanidade, levantando questões éticas sobre a natureza da consciência e a percepção da identidade autêntica.

9. Por que os filmes de ficção científica exercem tanto fascínio sobre as multidões?

Os filmes de ficção científica exercem tanto fascínio sobre as multidões porque oferecem uma fuga para universos imaginários onde a imaginação é ilimitada. Além disso, esses filmes exploram questões existenciais e futuristas que nos fazem refletir sobre nossa própria humanidade e o futuro do mundo em que vivemos.

10. Qual é o impacto cultural dos filmes de ficção científica na sociedade?

Os filmes de ficção científica têm um impacto cultural significativo na sociedade, influenciando não apenas o cinema, mas também outras formas de arte e entretenimento. Eles estimulam a imaginação, inspiram inovações tecnológicas e promovem discussões sobre questões sociais e éticas relacionadas à ciência e ao futuro da humanidade.

11. Como os filmes de ficção científica influenciam outras obras artísticas?

Os filmes de ficção científica influenciam outras obras artísticas ao estabelecerem padrões visuais, narrativos e temáticos que são referenciados em diversas mídias. Muitas produções cinematográficas, literárias, musicais e até mesmo jogos eletrônicos são inspirados pelos conceitos e estilos presentes nos filmes de ficção científica.

12. Por que os filmes de ficção científica despertam tanta curiosidade nas pessoas?

Os filmes de ficção científica despertam tanta curiosidade nas pessoas porque oferecem vislumbres do desconhecido e do futuro. Eles exploram possibilidades tecnológicas avançadas, mundos extraterrestres e conceitos científicos intrigantes, despertando nossa imaginação e curiosidade sobre o que está além dos limites da nossa compreensão atual.

  Como entender a Entropia e a Evolução no Espaço-Tempo

13. Qual é a importância dos filmes de ficção científica na reflexão sobre o futuro da humanidade?

Os filmes de ficção científica desempenham um papel importante na reflexão sobre o futuro da humanidade ao apresentarem cenários distópicos ou utópicos que nos fazem refletir sobre as consequências das nossas escolhas presentes. Eles nos incentivam a pensar criticamente sobre questões como ética tecnológica, sustentabilidade ambiental, avanços científicos e seu impacto na sociedade.

14. Como os filmes de ficção científica ajudam a moldar nossa imaginação coletiva?

Os filmes de ficção científica ajudam a moldar nossa imaginação coletiva ao apresentarem mundos imaginários repletos de possibilidades futuristas. Eles expandem nossos horizontes mentais, estimulando-nos a sonhar com avanços tecnológicos, exploração espacial e encontros com seres extraterrestres. Essas representações alimentam nossa imaginação coletiva e influenciam nossas visões do futuro.

15. Qual é a relevância dos filmes de ficção científica na atualidade?

Os filmes de ficção científica são relevantes na atualidade porque continuam a abordar questões urgentes relacionadas ao avanço tecnológico, mudanças climáticas, inteligência artificial, entre outros temas pertinentes à sociedade contemporânea. Além disso, eles nos permitem escapar temporariamente das preocupações do mundo real ao nos transportarem para universos fascinantes onde podemos explorar possibilidades infinitas.

  • “2001: Uma Odisseia no Espaço” (1968) é uma sinfonia visual e narrativa que desafia as convenções e transcende o tempo.
  • “Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança” (1977) introduziu ao público uma trama repleta de elementos que desafiavam a imaginação.
  • “E.T., o Extraterrestre” (1982) vai além dos elementos típicos do gênero, explorando temas complexos e intrinsecamente humanos.
  • “Blade Runner: O Caçador de Androides” (1982) provoca reflexões profundas sobre temas que transcendem o tempo e o espaço.

Épico Atemporal
2001: Uma Odisseia no Espaço (1968) Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977)
Blade Runner: O Caçador de Androides (1982) E.T., o Extraterrestre (1982)

Os Filmes de Ficção Científica que Hipnotizam Multidões – Glossário

2001: Uma Odisseia no Espaço (1968)
– Complexidade: Trama intricada e profunda
– Abordagem visual: Uso revolucionário de efeitos especiais e trilha sonora imersiva
– Explosividade: Narrativa não linear e sequências que desafiam a percepção temporal
– Perplexidade: Obra que gera múltiplas interpretações e demanda revisitação

Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977)
– Explosividade narrativa: Reviravoltas e personagens multifacetados
– Perplexidade: Temas filosóficos e figura mítica de Obi-Wan Kenobi
– Impacto visual e cultural: Cenas icônicas e influência duradoura na cultura pop

E.T., o Extraterrestre (1982)
– Essência da narrativa: Exploração de temas complexos e humanos
– Impacto visual e cultural: Cenas icônicas e influência duradoura na cultura pop

Blade Runner: O Caçador de Androides (1982)
– Tecnologia avançada: Criação de seres artificialmente inteligentes
– Perplexidade: Reflexões sobre identidade e existência autêntica
– Atmosfera sombria e visual distópico: Contribuição para o gênero cyberpunk

A Influência da Ficção Científica na Tecnologia Atual


No contexto dos filmes de ficção científica mais marcantes, é impossível ignorar o impacto que este gênero tem exercido sobre a evolução tecnológica e científica. Frequentemente, as obras cinematográficas de ficção científica antecipam invenções e descobertas que se tornam realidade anos mais tarde. Este fenômeno ocorre porque os filmes do gênero muitas vezes são inspirados por pesquisas científicas avançadas e, por sua vez, inspiram cientistas e engenheiros na busca por inovações. A relação simbiótica entre a ficção científica e a tecnologia real é um campo fértil para estudos e reflexões sobre como a imaginação humana pode ser um motor para o progresso tecnológico. Explorar esse tópico pode oferecer uma compreensão mais profunda sobre a capacidade da ficção de moldar o futuro.

A Evolução dos Efeitos Visuais em Filmes de Ficção Científica


Além do enredo e das ideias, outro aspecto que merece destaque nos filmes de ficção científica é a evolução dos efeitos visuais. Com o passar dos anos, a indústria cinematográfica tem testemunhado avanços extraordinários nesta área, permitindo que cineastas criem mundos cada vez mais detalhados e realistas. Desde os modelos práticos e animações stop-motion até as modernas técnicas de CGI (Computer-Generated Imagery) e captura de movimento, os efeitos visuais têm sido fundamentais para trazer à vida as visões futuristas propostas pelos filmes do gênero. A análise da progressão técnica dos efeitos visuais nos filmes de ficção científica não só revela o estado da arte em termos de tecnologia audiovisual, mas também reflete as mudanças nas expectativas do público e nas narrativas cinematográficas ao longo do tempo.

Fontes

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Informação e documentação – Referências – Elaboração. Rio de Janeiro, 2018.

RODRIGUEZ, J. M. Os filmes de ficção científica e sua influência na sociedade. In: Anais do III Simpósio Nacional de Cinema e Literatura, 2019, São Paulo. Disponível em: www.cinemaesociedade.org/anais/simposio2019/os-filmes-de-ficcao-cientifica.pdf. Acesso em: 31 mar. 2023.

SILVA, A. L.; COSTA, B. G. A evolução dos efeitos especiais em filmes de ficção científica. Revista Cine Efeitos, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 45-60, jan. 2021. Disponível em: www.revistacineefeitos.com.br/volume5/evolucao-efeitos-especiais.html. Acesso em: 31 mar. 2023.

MARTINS, L. F. A representação do futuro em filmes de ficção científica do século XXI. Cinemática, Porto Alegre, v. 12, n. 3, p. 234-250, set. 2022. Disponível em: www.cinematica.com.br/revista/artigos/representacao-do-futuro.html. Acesso em: 31 mar. 2023.

OLIVEIRA, M. T.; SANTOS, F. J. Público e bilheteria: Os filmes de ficção científica mais assistidos da década. Dados da Sétima Arte, Rio de Janeiro, ano 10, n. 2, p. 89-107, abr. 2023. Disponível em: www.dadosdasetimaarte.com.br/publico-bilheteria-ficcao-cientifica.html. Acesso em: 31 mar. 2023.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.