Notícias e entretenimento nerd!

Viaje no Tempo com Estes Filmes Incríveis!

Você já se perguntou como seria atravessar a barreira do tempo? No Agente Vimos, exploramos algumas das mais fascinantes narrativas cinematográficas que transformam a viagem temporal de mera ficção em uma experiência visceral. **Filmes que retratam viagens no tempo** não apenas entretêm, mas desafiam nossa percepção da realidade e das possibilidades além do agora.

Mas quais são as obras que conseguem capturar esse conceito de maneira impressionante? Será que a criatividade de um filme japonês de baixo orçamento ou a grandiosidade dos blockbusters de Hollywood conseguem nos levar além da linha do presente? Descubra as intricadas tramas de **”Dois Minutos Além do Infinito”**, a odisseia espacial de **”Interestelar”** e os dramas interdimensionais de **”Donnie Darko”**, entre outros. Continue lendo para desvendar esses universos que transcendem o tempo e o espaço.

Viaje no Tempo com Estes Filmes Incríveis!

  • “Dois Minutos Além do Infinito” (2020): Um filme japonês intrigante disponível no HBO Max, que explora uma mensagem de vídeo do futuro.
  • “Interestelar” (2014): Uma viagem espacial e temporal épica dirigida por Christopher Nolan, no HBO Max e Amazon Prime Video.
  • “Donnie Darko” (2001): Uma mistura de drama adolescente com viagens interdimensionais, estrelado por Jake Gyllenhaal e disponível no Amazon Prime Video, Pluto.tv e Run Time.
  • “Os Doze Macacos” (1995): Uma narrativa sobre prevenção de uma praga biológica com viagem no tempo, dirigido por Terry Gilliam e com aluguel disponível no Apple TV+.
  • “Vingadores: Ultimato” (2019): Aventura de super-heróis da Marvel com viagem no tempo para salvar o universo, disponível no Disney+.
  • “Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo” (2022): Uma trama multidimensional cheia de ação, disponível no Amazon Prime Video.
  • Outras obras notáveis incluem: “A Pista” (1962), “O Predestinado” (2014), “Primer” (2004), “Projeto Almanaque” (2015) e “Triângulo do Medo” (2009), todas trazendo abordagens únicas ao conceito de viagem no tempo.

Esses filmes são perfeitos para fãs do tema de viagens no tempo que buscam experiências cinematográficas que desafiem a mente e ofereçam aventuras fora do comum.

Se você é fã do tema de viagens no tempo e está procurando por filmes incríveis para se surpreender, aqui estão algumas opções altamente recomendadas. Filmes como “Dois Minutos Além do Infinito”, “Interestelar” e “Donnie Darko” oferecem histórias cativantes e abordagens únicas para o conceito de viagem temporal. Já “Os Doze Macacos” e “Vingadores: Ultimato” exploram essa temática de maneiras diferentes, com elementos de ação e super-heróis. E se você está em busca de algo mais experimental, “Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo” é uma opção frenética e multidimensional. Explore essas obras e mergulhe em aventuras temporais fascinantes!

Dois Minutos Além do Infinito: Uma Jornada Cinematográfica Pelo Tempo

A fascinação humana pelo tempo e suas implicações existenciais tem sido um tema recorrente nas artes, especialmente no cinema. A narrativa de “Dois Minutos Além do Infinito” insere-se nesse contexto como uma obra que desafia a percepção convencional da temporalidade, conduzindo o espectador por um labirinto de possibilidades quase tangíveis. A trama, centrada em Koto e sua inesperada descoberta, atua como um catalisador para reflexões mais profundas sobre a natureza do tempo e a influência das escolhas individuais no tecido da realidade.

A Intersecção entre Tempo e Identidade

O protagonista Koto, interpretado com maestria por Kazunari Tosa, representa a figura do homem comum confrontado com o extraordinário. Ao se deparar com sua própria imagem projetada dois minutos no futuro, Koto é impelido a questionar não somente a linearidade do tempo, mas também a essência de sua identidade. O filme explora essa intersecção entre tempo e identidade de maneira sutil, porém poderosa, utilizando o recurso narrativo do doppelgänger temporal para ampliar a perspectiva do espectador.

Conflitos e Consequências das Escolhas Temporais

A medida que a trama se desenrola, o café de Koto torna-se o epicentro de um turbilhão de eventos que transcendem o cotidiano. Os conflitos que surgem são uma representação metafórica das ondas de choque geradas pelas escolhas que fazemos. O filme lança luz sobre como decisões aparentemente insignificantes podem reverberar através do continuum temporal, afetando não apenas o indivíduo, mas também aqueles que o cercam.

Aspectos Técnicos e Estéticos na Construção da Narrativa

A direção do filme é um elemento chave na construção dessa atmosfera enigmática. Cada escolha estética, desde a fotografia até os efeitos visuais, é meticulosamente orquestrada para reforçar a sensação de estranhamento e curiosidade. A habilidade técnica por trás das câmeras é evidente na maneira como as sequências são compostas para evocar uma sensação de imersão total no universo proposto pelo filme.

Em “Dois Minutos Além do Infinito”, cada elemento narrativo é cuidadosamente entrelaçado para criar uma tapeçaria complexa que desafia as convenções típicas dos filmes de viagem no tempo. A obra convida o espectador a embarcar em uma jornada introspectiva, onde as fronteiras entre passado, presente e futuro são não apenas borradas, mas reimaginadas. Este filme é um convite aberto à exploração dos limites da imaginação humana e um testemunho da capacidade do cinema em expandir os horizontes da nossa compreensão sobre o mundo e nós mesmos.

Explorando as Fronteiras da Física em Interestelar

Em um cenário onde a humanidade enfrenta uma crise sem precedentes, “Interestelar”, dirigido por Christopher Nolan, emerge como uma obra cinematográfica que desafia não apenas as barreiras do espaço, mas também as fronteiras do conhecimento humano. O filme, lançado em 2014, é uma odisséia espacial que entrelaça teorias científicas complexas com um drama humano profundo.

A trama de “Interestelar” é tecida em torno de Cooper, um ex-piloto e engenheiro da NASA, e sua filha Murphy. A descoberta de mensagens codificadas através de radiação gravitacional se torna o ponto de partida para uma missão que transcende as dimensões familiares e adentra o âmbito cósmico. A narrativa se desdobra à medida que Cooper é recrutado para liderar uma expedição através de um buraco de minhoca, revelando a possibilidade de novos mundos habitáveis além do nosso sistema solar.

A Precisão Científica Como Pilar Narrativo

O compromisso com a precisão científica é um dos aspectos mais louvados de “Interestelar”. Nolan, juntamente com o físico teórico Kip Thorne, garante que o filme não apenas entretenha, mas também eduque. A representação de fenômenos como a dilatação temporal e os buracos negros é feita com um rigor que raramente se vê em produções do gênero. Essa abordagem confere ao filme uma camada adicional de autenticidade e permite ao espectador uma imersão mais profunda nas questões científicas apresentadas.

  Surpreenda-se com os Filmes que Desafiam as Leis da FÍSICA

Trilha Sonora e Efeitos Visuais: Uma Imersão Sensorial

Além da narrativa científica, “Interestelar” destaca-se por sua trilha sonora envolvente e efeitos visuais impressionantes. A música composta por Hans Zimmer ressoa com os temas do filme, evocando uma sensação de maravilha e mistério diante do desconhecido. Os efeitos visuais não apenas complementam a experiência audiovisual, mas também reforçam a escala monumental das viagens espaciais e dos corpos celestes explorados.

Ao longo da jornada espacial em “Interestelar”, os espectadores são confrontados com dilemas morais e emocionais que refletem a complexidade da condição humana. As escolhas difíceis enfrentadas pelos personagens ressoam com questões atemporais sobre sacrifício, amor e a busca incessante pelo conhecimento. Ao final da experiência cinematográfica, o público é deixado com uma reflexão sobre o nosso lugar no universo e a persistente esperança na capacidade humana de superar os maiores desafios.

Donnie Darko: Uma Odisséia Psicológica e Temporal

Donnie Darko não é apenas um filme, é uma experiência cinematográfica que desafia a percepção da realidade e a linearidade do tempo. O enredo se desenrola em uma pequena cidade americana, onde o protagonista, um jovem estudante chamado Donnie, interpretado magistralmente por Jake Gyllenhaal, se depara com eventos que desafiam as fronteiras entre o sonho e a vigília. Sua jornada é pontuada por visões de um coelho sinistro que o guia por um caminho repleto de questionamentos filosóficos e científicos. A complexidade do personagem e os diálogos intricados contribuem para uma atmosfera de mistério que envolve o espectador em uma teia de suposições.

A narrativa de Donnie Darko explora profundamente os conceitos de universos paralelos e viagem no tempo, levando o público a uma reflexão sobre a fragilidade da existência humana e o impacto das escolhas individuais no tecido do destino. O incidente do avião que cai no telhado da casa do protagonista é apenas o início de uma série de eventos que desencadeiam uma busca intensa por respostas. Esta busca é marcada por uma trilha sonora envolvente e uma direção de arte que captura perfeitamente a essência dos anos 80, criando um pano de fundo nostálgico para a narrativa. A atuação do elenco, aliada à direção habilidosa de Richard Kelly, torna cada cena uma peça fundamental na construção deste enigmático quebra-cabeça cinematográfico.

A Influência Imaginária e os Dilemas Emocionais em Donnie Darko

O filme Donnie Darko, com sua abordagem única sobre problemas emocionais e sonambulismo, leva o espectador a mergulhar nos recônditos mais obscuros da mente humana. Donnie é retratado como um indivíduo brilhante, mas atormentado por visões que o isolam socialmente e o impulsionam a agir de forma autodestrutiva. Essas visões, personificadas pela figura perturbadora de um coelho gigante, instigam Donnie a realizar atos que oscilam entre o heroísmo e a rebeldia juvenil. A ambiguidade moral dessas ações reflete a complexidade dos desafios psicológicos enfrentados pelo personagem principal, tornando-o uma figura tanto cativante quanto enigmática.

Enquanto Donnie luta para compreender as mensagens crípticas que recebe de seu misterioso mentor imaginário, o filme tece uma rede de temas como destino versus livre arbítrio e as consequências não intencionais das nossas escolhas. A dualidade entre a realidade objetiva e as percepções subjetivas do protagonista é explorada com maestria, criando um diálogo constante entre o espectador e a obra. A cinematografia do filme amplifica essa sensação de estranheza e curiosidade, utilizando-se de ângulos e técnicas visuais que intensificam a sensação de estar diante de algo fora do comum. Em suma, Donnie Darko é um convite à reflexão sobre nossa própria existência e sobre como as forças invisíveis – sejam elas internas ou externas – podem moldar nosso caminho através do tempo.

Os Doze Macacos: Uma Jornada Cinematográfica Através do Tempo

O cinema tem o poder de transportar o espectador para realidades alternativas, onde as leis da física e as limitações temporais podem ser flexibilizadas ou completamente desconsideradas. Dentro deste fascinante universo de possibilidades, a viagem no tempo se destaca como um tema recorrente e instigante. “Os Doze Macacos”, dirigido por Terry Gilliam e adaptado para literatura por Elizabeth Hand, é um exemplar notável que explora essa temática com maestria.

A narrativa do filme nos conduz por uma trama complexa, ambientada em um futuro pós-apocalíptico. A humanidade, devastada por um cataclismo viral, busca desesperadamente uma forma de reverter os danos causados à civilização. É neste cenário que James Cole, interpretado pelo ator Bruce Willis, é enviado de volta no tempo com a missão crítica de coletar informações sobre o vírus que aniquilou grande parte da população mundial.

Complexidade Narrativa e Reflexões Profundas

A obra cinematográfica não se limita a apresentar uma sequência linear de eventos; ela desafia o espectador ao entrelaçar linhas temporais, criando um labirinto onde passado, presente e futuro colidem. A perplexidade textual é ampliada pela riqueza de detalhes e pela profundidade dos personagens, especialmente na interação entre Cole e a dra. Kathryn Railly, vivida por Madeleine Stowe. Esta relação evolui de maneira imprevisível, adicionando camadas de complexidade à já intricada teia de acontecimentos.

Paralelos com a Realidade e Impacto Cultural

A adaptabilidade do ser humano diante das adversidades é um tema central em “Os Doze Macacos”. O filme não apenas entretém, mas também provoca reflexões pertinentes sobre a condição humana e nossa vulnerabilidade diante de forças que fogem ao nosso controle. A explosividade do enredo se manifesta nas reviravoltas dramáticas e nos momentos de tensão que pontuam a jornada dos personagens.

Ao explorar o conceito de viagem no tempo, “Os Doze Macacos” convida o público a questionar a própria natureza da realidade. A interação entre os diferentes períodos temporais serve como metáfora para as consequências das ações humanas e a inevitabilidade do destino. A obra se torna ainda mais relevante em nosso contexto atual, onde enfrentamos desafios globais que ressoam com os temas abordados pelo filme.

  Por que a viagem no tempo ainda é um sonho distante para a humanidade

“Os Doze Macacos” é uma experiência cinematográfica que transcende o gênero da ficção científica. É um convite à reflexão sobre nossa existência e sobre as escolhas que fazemos enquanto sociedade. Para os aficionados por narrativas que desafiam as convenções e instigam o pensamento crítico, este filme é uma recomendação incontornável na lista de obras que exploram a viagem no tempo com inteligência e sensibilidade artística.

Prepare-se para uma viagem alucinante através do tempo com nossa seleção de filmes que vão mexer com a sua percepção de realidade. De clássicos a novidades, essas histórias vão te prender do início ao fim. Confira mais sobre o universo cinematográfico no IMDb, o maior banco de dados de filmes do mundo, e escolha sua próxima aventura temporal!

1. Como a viagem no tempo é retratada nos filmes?

A viagem no tempo é retratada nos filmes como uma forma de explorar conceitos complexos, como a linearidade do tempo e suas consequências. Os filmes utilizam diferentes abordagens, desde máquinas do tempo até fenômenos naturais, para criar narrativas envolventes que desafiam a percepção convencional da temporalidade.

2. Quais são alguns exemplos de filmes que retratam viagens no tempo?

Alguns exemplos de filmes que retratam viagens no tempo de forma impressionante são “De Volta para o Futuro”, “Interestelar”, “Donnie Darko” e “Os Doze Macacos”. Essas obras exploram a ideia de viajar para o passado ou para o futuro e como isso afeta os personagens e a história.

3. Qual é a importância desses filmes na cultura popular?

Esses filmes têm uma influência significativa na cultura popular, pois despertam o interesse do público pela temática da viagem no tempo. Eles estimulam discussões sobre o paradoxo temporal, as consequências das escolhas e a relação entre passado, presente e futuro. Além disso, essas obras inspiram outros filmes, séries e livros que exploram esse tema complexo.

4. O que podemos aprender com os filmes que retratam viagens no tempo?

Os filmes que retratam viagens no tempo nos fazem refletir sobre a natureza do tempo e a importância das nossas escolhas. Eles mostram como pequenas decisões podem ter grandes repercussões ao longo da linha temporal e nos fazem questionar se podemos ou devemos interferir no curso natural dos eventos. Essas obras também nos convidam a ponderar sobre o destino, livre-arbítrio e a relatividade do tempo.

5. Como os aspectos técnicos e estéticos contribuem para a construção da narrativa desses filmes?

Os aspectos técnicos e estéticos desempenham um papel fundamental na construção da narrativa desses filmes. A direção, fotografia e efeitos visuais são cuidadosamente planejados para criar uma atmosfera imersiva e transmitir a sensação de estar viajando no tempo junto com os personagens. A trilha sonora também desempenha um papel importante ao evocar emoções e reforçar a experiência sensorial do espectador.

6. Como esses filmes abordam a relação entre tempo e identidade?

Esses filmes abordam a relação entre tempo e identidade ao explorar como as viagens temporais afetam os personagens em níveis pessoais e emocionais. Eles questionam se o passado pode ser alterado, se o futuro é inevitável e como essas mudanças temporais impactam a essência de cada indivíduo. Essas reflexões nos levam a pensar sobre como nossas escolhas moldam nossa identidade ao longo do tempo.

7. Quais são os conflitos e as consequências das escolhas temporais retratados nesses filmes?

Os conflitos retratados nesses filmes surgem das escolhas temporais dos personagens. As decisões que parecem insignificantes no momento podem ter consequências significativas ao longo da linha do tempo, gerando conflitos morais, éticos e emocionais. Essas obras exploram as ramificações das escolhas temporais não apenas para os indivíduos envolvidos, mas também para o mundo ao seu redor.

8. Como esses filmes desafiam as convenções típicas dos filmes de viagem no tempo?

Esses filmes desafiam as convenções típicas dos filmes de viagem no tempo ao apresentarem abordagens originais e complexas para o tema. Eles vão além dos clichês e exploram novos conceitos, criando narrativas mais profundas e intrigantes. Essas obras buscam surpreender o público com reviravoltas inesperadas, questionamentos filosóficos e reflexões sobre a natureza da realidade.

9. Quais são os aspectos mais marcantes desses filmes em termos de impacto emocional?

Esses filmes têm um impacto emocional significativo devido à sua habilidade em conectar-se com o público em um nível emocional profundo. Eles exploram temas universais, como amor, perda, arrependimento e redenção, que ressoam com as experiências humanas. Além disso, os personagens complexos e suas jornadas pessoais despertam empatia e fazem com que o público se envolva emocionalmente com as histórias.

10. Como esses filmes ampliam nossa compreensão sobre o conceito de viagem no tempo?

Esses filmes ampliam nossa compreensão sobre o conceito de viagem no tempo ao desafiar nossas preconcepções e apresentar abordagens inovadoras para o tema. Eles nos convidam a refletir sobre as implicações filosóficas, científicas e morais dessa possibilidade fictícia. Ao explorar diferentes teorias sobre o tempo, essas obras expandem nosso entendimento sobre essa temática complexa.

11. Quais são algumas das mensagens ou lições que podemos extrair desses filmes?

Algumas mensagens ou lições que podemos extrair desses filmes são: a importância das escolhas que fazemos; o impacto das nossas ações ao longo do tempo; a valorização do presente; a necessidade de aceitar as consequências das nossas decisões; a compreensão de que nem tudo está sob nosso controle; e a capacidade humana de se adaptar diante das adversidades.

12. Por que esses filmes continuam sendo relevantes mesmo após muitos anos de seus lançamentos?

Esses filmes continuam sendo relevantes mesmo após muitos anos de seus lançamentos porque abordam temas atemporais que ressoam com o público em diferentes épocas. A exploração da natureza humana, as questões existenciais, as reflexões filosóficas e científicas transcendem as barreiras do tempo e continuam sendo pertinentes para as gerações futuras.

13. Como esses filmes expandem os limites da imaginação humana?

Esses filmes expandem os limites da imaginação humana ao apresentarem conceitos complexos de forma acessível ao público geral. Eles nos convidam a pensar além das limitações convencionais do nosso mundo cotidiano e explorar possibilidades fascinantes relacionadas à viagem no tempo. Ao desafiar nossa compreensão do tempo, essas obras estimulam nossa criatividade e nos inspiram a questionar os limites da realidade.

  Desvendando a Influência das Séries de TV no Futuro dos Nerds

14. Qual é o papel do cinema na exploração dos limites da imaginação humana?

O cinema desempenha um papel fundamental na exploração dos limites da imaginação humana ao criar mundos fictícios visualmente impactantes que nos transportam para além da nossa realidade cotidiana. Ele nos permite experimentar novas perspectivas, questionar convenções estabelecidas e explorar conceitos complexos por meio da linguagem audiovisual única dessa forma de arte.

15. Como esses filmes contribuem para expandir nossa compreensão sobre nós mesmos e sobre o mundo?

Esses filmes contribuem para expandir nossa compreensão sobre nós mesmos e sobre o mundo ao nos fazer refletir sobre questões fundamentais da existência humana. Eles nos convidam a questionar nossa identidade, nossas escolhas e nossa relação com o tempo. Ao explorarem temas universais através das lentes da viagem no tempo, essas obras ampliam nossa visão de mundo e nos incentivam a buscar um maior entendimento sobre nós mesmos e o universo em que vivemos.

  • “De Volta para o Futuro” (1985): Esta trilogia clássica segue as aventuras de Marty McFly, que acidentalmente viaja para o passado
  • “Interestelar” (2014): Um filme que entrelaça teorias científicas complexas com um drama humano profundo
  • “Donnie Darko” (2001): Uma odisséia psicológica e temporal que desafia a percepção da realidade
  • “Os Doze Macacos” (1995): Um filme que explora a viagem no tempo em um futuro pós-apocalíptico

Filme Descrição
De Volta para o Futuro (1985) Esta trilogia clássica segue as aventuras de Marty McFly, que acidentalmente viaja para o passado.
Interestelar Uma odisséia espacial que entrelaça teorias científicas complexas com um drama humano profundo.
Donnie Darko Uma experiência cinematográfica que desafia a percepção da realidade e a linearidade do tempo.
Os Doze Macacos Explora o tema da viagem no tempo em um futuro pós-apocalíptico, onde a humanidade busca reverter os danos causados por um vírus.

Glossário de Termos

– Viagem no tempo: Ação de se deslocar para o passado ou futuro, utilizando algum meio ou dispositivo.
– Temporalidade: Conceito que se refere à relação entre o tempo e os eventos que ocorrem nele.
– Doppelgänger temporal: Termo utilizado para descrever a aparição de uma pessoa idêntica a outra, mas proveniente de uma linha temporal diferente.
– Continuum temporal: Ideia de que o tempo é uma linha contínua e infinita, onde todos os eventos estão interligados.
– Dilatação temporal: Fenômeno em que o tempo parece passar mais devagar em determinadas situações, como em altas velocidades ou em campos gravitacionais intensos.
– Buraco de minhoca: Possível atalho no espaço-tempo que permitiria viagens instantâneas entre pontos distantes do universo.
– Precisão científica: Rigor científico aplicado na representação de fenômenos e teorias no cinema, buscando uma representação fiel da realidade.
– Trilha sonora envolvente: Composição musical que cria uma atmosfera imersiva e complementa as cenas e emoções do filme.
– Efeitos visuais impressionantes: Uso de recursos visuais, como computação gráfica, para criar imagens impactantes e realistas.
– Universos paralelos: Conceito que propõe a existência de múltiplos universos, cada um com suas próprias leis físicas e eventos.
– Dualidade entre destino e livre arbítrio: Conflito filosófico entre a ideia de que tudo está predestinado e a crença na capacidade humana de fazer escolhas independentes.
– Ambiguidade moral: Situação em que não há uma resposta clara sobre o que é certo ou errado, gerando dilemas éticos e morais.
– Cinematografia: Arte e técnica de capturar imagens em movimento, incluindo a escolha de ângulos, enquadramentos e iluminação.
– Labirinto temporal: Metáfora utilizada para descrever narrativas complexas envolvendo viagem no tempo, onde as linhas temporais se entrelaçam.
– Vulnerabilidade humana: Reconhecimento da fragilidade e limitações do ser humano diante das forças da natureza e do universo.
– Reflexão sobre a condição humana: Análise profunda sobre os aspectos essenciais da existência humana, como a vida, a morte, o propósito e a moralidade.

As Implicações Científicas e Filosóficas das Viagens no Tempo

Ao explorar os filmes que retratam viagens no tempo, é natural que surja o interesse pelas implicações científicas e filosóficas subjacentes a esse conceito fascinante. A ideia de viajar através do tempo desafia nossa percepção de causalidade e levanta questões profundas sobre o livre-arbítrio, o determinismo e a própria natureza da realidade. Os entusiastas da física teórica podem se deleitar com as discussões sobre a Teoria da Relatividade de Einstein, os paradoxos temporais e as hipotéticas partículas conhecidas como táquions, que alguns teóricos sugerem que poderiam se mover mais rápido que a luz, potencialmente permitindo a comunicação ou viagem para o passado.

A Representação da História e Seu Impacto Cultural em Filmes de Viagem no Tempo

Além disso, a maneira como os filmes de viagem no tempo abordam eventos históricos pode oferecer uma rica fonte de análise sobre o impacto cultural dessas representações. Ao revisitar momentos cruciais da história, esses filmes frequentemente comentam sobre o presente e oferecem uma perspectiva única sobre o passado. O estudo da história alternativa e a especulação sobre “e se” diferentes resultados tivessem ocorrido são temas que fascinam tanto historiadores quanto amantes do cinema. A reflexão sobre como pequenas mudanças no passado poderiam alterar drasticamente o presente estimula uma discussão mais ampla sobre a importância dos eventos históricos e suas consequências na formação da sociedade contemporânea.

Fontes

O CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON. Direção: David Fincher. Produção: Kathleen Kennedy, Frank Marshall, Ceán Chaffin. Estados Unidos: Warner Bros., 2008.

DE VOLTA PARA O FUTURO. Direção: Robert Zemeckis. Produção: Bob Gale, Neil Canton. Estados Unidos: Universal Pictures, 1985.

A CHEGADA. Direção: Denis Villeneuve. Produção: Shawn Levy, Dan Levine, Aaron Ryder, David Linde. Estados Unidos: Paramount Pictures, 2016.

PRIMER. Direção e Produção: Shane Carruth. Estados Unidos: Thinkfilm, 2004.

INTERESTELAR. Direção: Christopher Nolan. Produção: Emma Thomas, Christopher Nolan, Lynda Obst. Estados Unidos: Paramount Pictures, 2014.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.